Anunciamos que este blogue é um repositório de informações sobre a língua portuguesa, e que os conteúdos não são todos da responsabilidade do IILP.

Nota | Publicado em por

1ª FORMAÇÃO TÉCNICA DE TERMINOLOGIAS CIENTÍFICAS E TÉCNICAS COMUNS DA LÍNGUA PORTUGUESA

Entre os dias 26 e  29 de junho, o  IILP promove uma formação em “Terminologias Científicas e Técnicas Comuns da Língua Portuguesa”, cujo programa contempla a apresentação do referido projeto, uma abordagem à terminologia, apresentação das tarefas a serem realizadas pelas equipes nacionais nos seus países, cumprindo o cronograma do projeto, e termina com a realização de duas oficinas, que consistem em atividades práticas nas quais os participantes vão validar listas parciais de termos identificados no Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa (VOC), na área da informática e do petróleo.

cartaz terminologias

Este encontro faz parte do conjuntos de ações do IILP, a citar, a I Reunião Técnica sobre “Dicionários de Autores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa”, ocorrida entre os dias 20 e 21 do corrente mês,  na qual foi apresentado o projeto, identificadas atividades pertinentes para a atualização dos dados contidos no dicionário e a criação da plataforma digital e a I Reunião Técnica do “Plano de Leitura da CPLP” , que decorre entre hoje (22) e amanhã (23), tendo o propósito de refletir sobre experiências realizadas e elaborar um projeto de plano de leitura. a fim de trabalharem na promoção e enriquecimento da Língua Portuguesa.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Argentina pede para ser membro observador da CPLP

download (1)A carta formal com o pedido argentino de integrar a CPLP como membro observador associado será entregue ao Secretariado Executivo, com sede em Lisboa, antes do dia 30 de Junho. Quem confirma à RFI é o embaixador argentino em Portugal, Oscar Moscariello, que também destaca o objectivo argentino de se aproximar dos países africanos.
“A Argentina quer elevar a sua participação em foros e blocos para que a importância da Argentina seja gravitante com a maior quantidade de países possível”, indica Moscariello.
Principal aliada do Brasil e com relações históricas com Portugal, a dimensão africana faz parte dessa estratégia de aproximação com novos países. “No caso da CPLP, não temos nenhuma relação com alguns países que a integram. Queremos afiançar essas relações”, aponta.
No início de junho, Moscariello reuniu-se com a secretária geral da CPLP, Maria do Carmo Silveira, de São Tomé e Príncipe, a quem antecipou o desejo argentino.
Além dos nove estados-membros da CPLP, actualmente são dez os observadores associados: Geórgia, Hungria, Japão, República Checa, República Eslovaca, República da Maurícia, Namíbia, Senegal, Turquia e o único latino-americano: o Uruguai.
O pedido argentino já conta com o aval informal dos estados-membros. É o que antecipa à RFI o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva.
“Esta proposta argentina será bem-vinda. Portugal estima que a figura do membro associado ou observador associado é uma boa figura e não se compreendia que, havendo observadores associados asiáticos como o Japão e europeus como a República Checa ou como a Turquia, houvesse até este momento, apenas o Uruguai como país observador (latino-americano)”, avalia Santos Silva.
“Se mais países latino-americanos, tendo uma proximidade tão grande com a língua portuguesa, quiserem apresentar as suas candidaturas, isso, do ponto de vista português, é uma boa iniciativa”, incentiva.
Com a Argentina, a CPLP ganha, além de projecção pela América Latina, um membro com liderança mundial em tecnologia de alimentos e em técnicas de produção agropecuária. Com África, a Argentina ganha uma nova fronteira para a cooperação internacional.

Triangulação com Moçambique

A cooperação argentina já começou com Moçambique ainda no esquema triangular no qual a Argentina se soma a países com experiência em África como Holanda e Portugal na modalidade público-privada.

No mês passado, especialistas argentinos do Instituto Nacional de Tecnologia Agopecuária (INTA) chegaram a um acordo sobre a instalação de campos demonstrativos de plantio directo.

O projeto com a ONG holandesa Technoserve visa demonstrar como a adopção do sistema produtivo argentino, em associação com um pacote tecnológico, permite uma melhoria nos níveis de produção de alimentos, reduzindo a degradação do meio-ambiente.
“Há projectos em comum em desenvolvimento entre Portugal e Argentina com Moçambique. São projectos nos quais uma empresa argentina tem a experiência, máquinas ou a capacidade de financiamento e que possa beneficiar as empresas portuguesas que já estão no terreno em África”, indica à RFI o ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral.

Fonte: RFI

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

I REUNIÃO TÉCNICA “DICIONÁRIO DE AUTORES DE LITERATURAS AFRICANAS DE LÍNGUA PORTUGUESA” DO IILP e I REUNIÃO TÉCNICA “PLANO DE LEITURA CPLP” DO IILP

Esta galeria contém 1 imagem.

Galeria | Publicar um comentário

Professores de Língua Portuguesa no Reino Unido criam associação para defenderem interesses

dados do reino unidoAo contrário da maioria das outras línguas ensinadas como língua estrangeira no Reino Unido, o português é uma das únicas línguas que não tinha uma associação que representasse o seu estudo e o seu ensino”, vincou Sofia Martinho, leitora do Instituto Camões na Universidade de Leeds.

A Tropo – Associação de Professores e Investigadores de Língua Portuguesa no Reino Unido – pretende reunir professores do ensino superior e não superior de português europeu e de português brasileiro.

“Se queremos que o português seja visto como língua global, temos de trabalhar em conjunto”, justificou a docente.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Concurso “Soletrar Angola”

estudantes em LuandaA organização “Saber sem Limites” deu inicio, em Luanda, à III Edição do Concurso “Soletrar Angola”, destinado a estimular os alunos a desenvolver as suas capacidades acadêmicas, cultivar o gosto pela leitura e, consequentemente, mitigar algumas debilidades de aprendizagem da Língua Portuguesa.

Para esta edição, o concurso que obedece a várias etapas selecionou 18 escolas que vão representar os nove municípios da província. Cada escola identifica 20 alunos para se apresentarem ao concurso. No total concorrem 380 alunos.

Nos quartos-de-final, o concurso entra na fase mais competitiva. Apenas 40 alunos prosseguem para a meia-final, onde são apurados os 20 finalistas.  Os finalistas terão que soletrar um conjunto maior de palavras e, simultaneamente, explicar os respectivos significados.
De acordo com Adalberto Saldanha Neto e Felipe Rafael, mentores do projeto “Soletrar Angola”, a prova final do concurso realiza-se sob a forma de um evento especial no dia 4 de Novembro, com a presença dos professores e diretores das escolas, encarregados de educação, representantes das entidades patrocinadoras e outros convidados.
Adalberto Saldanha Neto considera fundamental consciencializar a sociedade sobre a importância de saber ler, falar e escrever de forma correta. “Este é um legado que desejamos transmitir às gerações futuras”, sublinhou. Por sua vez, Felipe Rafael falou da expansão do projeto para a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Fonte: Jornal de Angola

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Simpósio SIPLE

AS INSCRIÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS FORAM PRORROGADAS ATÉ 03 DE JULHO DE 2017   Segunda Circular Simpósio SIPLE 2017 

0001.jpg

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

PEDIDO DO CHILE PARA SER OBSERVADOR DA CPLP

António Costa-no-Chile

O Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, e a Presidente do Chile, Michelle Bachelet, durante as declarações à imprensa no final do encontro no Palácio de la Moneda, em Santiago do Chile, no âmbito da visita ofocial ao Chile, 14 de junho de 2017. PAULO NOVAIS/LUSA

O primeiro-ministro manifestou hoje apoio ao pedido do Chile para que seja país observador da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), adiantando, também, que Portugal reforçará o seu papel de observador na Aliança do Pacífico.

Palavras de António Costa na declaração conjunta com a Presidente da República do Chile, Michelle Bachelet, que antes tinha insistido com o líder do executivo nacional nessa aproximação à CPLP.

“Temos um interesse claro em sermos membros observadores da CPLP, tendo em vista uma maior aproximação, não apenas a Portugal, mas também aos outros países que fazem parte dessa comunidade. O Chile é um país que apoia fortemente o multilateralismo”, disse.

Costa respondeu logo depois, dizendo que, nessa lógica de multilateralismo, “Portugal apoia não só o interesse do Chile em ser observador da CPLP, como, por sua vez, quer reforçar a sua participação enquanto observadores na Aliança do Pacífico”.

Em relação a outro pedido de Michelle Bachelet, esse no sentido de que seja modernizado o acordo de associação entre o Chile e a União Europeia, o primeiro-ministro também se manifestou disponível para apoiar.

“Será um marco muito importante que o comércio livre se afirme perante as tentações protecionistas, que ameaçam as relações económicas entre os países. Este é também o momento de afirmar o compromisso de todo o mundo de enfrentar a maior ameaça ao mundo, que são as alterações climáticas”, completou António Costa.

Esta declaração conjunta seguiu-se a uma reunião a sós entre António Costa e Michelle Bachelet no Palácio La Moneda de Santiago, num dia que começou com o primeiro-ministro a depor uma coroa de flores junto do monumento Bernardo O’Higgins, herói da independência do Chile.

Perante os jornalistas, foi apenas assinado um acordo (pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, com o seu homólogo chileno) e que é idêntico ao que foi assinado na terça-feira em Buenos Aires entre os governos de Portugal e da Argentina.

Por esse acordo, durante um ano, os jovens entre os 18 e os 30 anos podem estabelecer-se no Chile ou em Portugal, em trabalho ou em férias, sem necessidade de visto.

Michelle Bachelet considerou que se trata de uma medida muito importante para promover o intercâmbio de experiências entre jovens.

Fonte: Lusa
Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Curso de Língua Portuguesa para estrangeiros

Estudantes-brasileiros-1Começam nesta semana as aulas de Língua Portuguesa dedicadas aos estrangeiros que vivem em Curitiba, Brasil. O projeto criado para atender os haitianos pode ser estendido também a outros estrangeiros.

Haverá dois locais para as aulas, que serão oferecidas duas vezes por semana. Na Escola Municipal Germano Paciornik, no Boqueirão, as atividades serão às segundas e quartas-feiras, à noite. Na Igreja do Evangelho Quadrangular, no Rebouças, será durante a tarde, às terças e quintas-feiras. Nos dois locais, as atividades serão desenvolvidas pela professora Ciomara Amorelli, da rede municipal de ensino.

Os interessados podem procurar diretamente os dois locais ou entrar em contato com a equipe da Educação de Jovens e Adultos (EJA) pelo telefone 3350 3076.

O projeto iniciado em 2013 já atendeu 433 haitianos. Curitiba é uma das cidades brasileiras que mais recebem imigrantes do Haiti.

As aulas permitem que os estudantes passem a fazer atividades cotidianas importantes, como preencher um cadastro para emprego, tirar carteira de trabalho, expressar-se no posto de saúde, solicitar uma informação, fazer uma operação bancária, alugar um imóvel, preencher currículo, fazer compras e relacionar-se. O curso de nível básico tem carga horária de 60 horas.

O curso instrumental de Língua Portuguesa faz parte das atividades da Educação de Jovens e Adultos. “O resgate da cidadania é direito de todos os cidadãos, independentemente de sua condição social, econômica ou étnico-social”, afirma a gerente da Educação de Jovens e Adultos, Isabel Novacki.

 

 

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

O Brasil vai ganhar a primeira escola internacional portuguesa

O foco da nova escola são os filhos de portugueses emigrantes que residem no Brasil e os descendentes de portugueses. Mas serão aceitos também interessados que não pertençam a esses dois grupos. O projeto da escola portuguesa prevê ainda um porcentual de ao menos 10% de vagas que serão destinadas a alunos carentes. A capacidade quanto ao número de alunos ainda não foi estabelecida.

A nova escola terá ensino infantil, fundamental e médio e todos os alunos terão diploma duplo, que garante acesso às instituições de ensino superior público e privadas em Portugal.

As obras necessárias para a implementação da escola, assim como a administração posterior serão de responsabilidade do governo português. “A partir de agora vamos começar a trabalhar em conjunto com as equipes técnicas para que possamos cumprir a meta desejada de abrir as portas da escola portuguesa em 2019”, disse o ministro da Educação de Portugal, Tiago Brandão, ao Portugal Digital.

Já a parte curricular será discutida e elaborada em conjunto entre os governos português e brasileiro. O certo é que o currículo será binacional. A escola será 100% digital.

“Para Portugal era fundamental ter este espaço no Brasil”, disse o ministro Tiago Brandão, completando que a escola portuguesa não será apenas uma escola de formação. “Ali também funcionará um Centro de Cultura da Língua Portuguesa”, diz. É que, além da escola, serão criados no espaço um centro de Formação Contínua de Professores e um centro de Língua Portuguesa e Cultura, voltado a professores, alunos e funcionários da rede estadual. Também em conjunto será feita a escolha dos professores, trabalho que, segundo o ministro, será equacionado pelas equipes técnicas bilaterais que trabalharão pelos próximos meses nesse projeto.

Para o Brasil, a parceria é interessante O secretário de educação do Estado de São Paulo, José Renato Nalini, diz que para o Brasil essa parceria vai permitir que esses estudantes tenham acesso facilitado ao mercado comum europeu uma vez que o diploma valerá em Portugal e em toda a comunidade europeia, não sendo necessária sua validação para os que quiserem estudar ou trabalhar lá. “Estamos agora devolvendo a Portugal um espaço onde, de 1941 a 1994, funcionou como escola de Portugal e que agora volta a funcionar novamente como tal. Hoje, no prédio funciona uma diretoria administrativa da Secretaria de Educação de São Paulo.

Para o primeiro ministro de Portugal, Antonio Costa, a assinatura do protocolo de intenções entre os dois governos para a instalação da escola portuguesa foi um dos momentos mais marcantes para Portugal dentro das comemorações do 10 de Junho, pois sinaliza o futuro das relações entre os dois países. “Já fizemos muito nos últimos anos, mas ter aqui uma escola portuguesa significa realizar um sonho de cinco décadas”, disse.

A escolha da cidade de São Paulo para a instalação da escola portuguesa levou em conta o grande número de portugueses e luso-brasileiros na capital paulista, segundo Paulo Lourenço, cônsul geral de Portugal em São Paulo. A cessão do prédio ao governo de Portugal será por 20 anos, podendo ser renovado. A escola no Brasil será a oitava que Portugal mantém espalhada pelo estrangeiro.

Fonte: Portugal Digital

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Inscrições: Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa

11428324_S0887Estão abertas as inscrições para o próximo encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) a realizar em 10 a 12 de julho de 2017 na Universidade Estadual de Campinas (Brasil).

O tema deste ano é “Confluências de culturas no mundo lusófono e tem como subtemas (1) Trocas; (2) Discursos; (3) Transformações; e (4) Rotas.

Mais informação
Inscrições

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário