Anunciamos que este blogue é um repositório de informações sobre a língua portuguesa, e que os conteúdos não são todos da responsabilidade do IILP.

Nota | Publicado em por

“Esse procedimento é uma visão míope da Língua”

Não é comum o uso formal, por escrito, dos pronomes “tu” e “vós” em nosso dia a dia afirmou a professora Maria Carolina Stivaletti,  que defende o fim do ensino da conjugação verbal em relação aos dois pronomes,  já que a utilização destes está fora de uso.

a-foto-de-Evanildo-BecharaJá o titular da cadeira número 33 da Academia Brasileira de Letras (ABL), autor de várias das principais gramáticas da Língua Portuguesa, Evanildo Bechara, oferece um contraponto sobre a questão. Saiba mais, clique aqui

Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário

Google lança versão em português do Google Flights

33O Google lançou a versão em língua portuguesa do Google Flights, sistema que ajuda o usuário a encontrar passagens aéreas a partir de um cronograma pré-estabelecido.

A página apresenta informações sobre as companhias aéreas, os valores dos trechos solicitados e a disponibilidade de assentos. A abrangência (região ou país) também é definida pelo consumidor.

Em operação desde 2011 no exterior, a chegada do Google Flights era bastante aguardada pelo público brasileiro.

Fonte: Portal Vox

 

Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário

Espanha: VII Jornadas de Atualização Docente, em Cáceres

programação
A Coordenação de Ensino de Português no Estrangeiro em Espanha, o Centro de Língua Portuguesa e o Centro de Professores e Recursos de Cáceres organizam as VII Jornadas de Atualização Docente, nos dias 13 e 14 de março de 2015, destinadas aos professores de português como língua estrangeira, espanhóis e portugueses.

Este ano, as Jornadas são dedicadas às “TIC como recurso no ensino/aprendizagem de PLE/PL2″ e pretendem responder às necessidades de atualização didática no ensino do Português, possibilitar a interação com outros especialistas e nativos em língua portuguesa assim como oferecer o conhecimento de métodos e técnicas de ação pedagógica no ensino do Português na Comunidade Autónoma da Extremadura.

Mais informações, clique aqui

Fonte: Instituto Camões

Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário

Ex-ministro canadiano questiona necessidade de testes de língua para imigrantes

Ex-ministro canadiano questiona necessidade de testes de língua para imigrantes

Em declarações à Lusa, Joseph Volpe, ministro da Cidadania e Imigração entre janeiro de 2005 e fevereiro de 2996, no governo do primeiro-ministro liberal Paul Martin, acusou o atual executivo do conservador Stephen Harper e o seu ministro da Cidadania e Imigração, Chris Alexander, de se concentrarem na questão da fluência da língua como condição de integração na sociedade canadiana.

Segundo o ex-ministro, o princípio está errado e dá como exemplo o caso de algumas zonas de Toronto em que não se falam as línguas oficiais do Canadá, o inglês e o francês, e as pessoas “estão integradas”.

“Não é preciso saber falar inglês para espetar um prego na madeira, nem é necessário falar francês para se cortar a madeira. nem para se fazer limpezas. Excepto para se ser professor, advogado, contabilista. Talvez um engenheiro, um arquiteto, mas duvido. Nem é preciso saber falar nenhuma das línguas para se ser canalizador, para se ser condutor”, frisou.

Volpe, de origem italiana e atual diretor do diário Corriere Canadese, jornal de Toronto de língua italiana, falou à Lusa na sequência da ação interposta por cerca de 150 emigrantes que trabalham na construção civil, portugueses na sua maioria, que alegam que o teste de língua inglesa para obtenção da residência permanente a que foram submetidos é de elevada dificuldades e que não é necessária a exigência requerida do conhecimento da língua para as tarefas que desempenham.

Os imigrantes aguardam agora uma decisão federal sobre o caso e o advogado que os representa pediu ao tribunal que suspenda os processos de possível deportação, tendo em conta que nalguns casos os vistos de trabalho já cessaram.

Os imigrantes “trabalham, compram casas, criam empregos, pagam impostos e tornam o país saudável financeiramente. São como a minha mãe, nunca falou uma palavra em inglês, mas isso não significava que não o entendesse. Criou a sua família e integrámo-nos todos muito bem”, salientou.

Para o antigo ministro, os imigrantes são “um fator essencial para o desenvolvimento do Canadá”, e recordou que Toronto há 30 anos tinha metade da dimensão atual, acentuando o facto da maioria dos seus habitante serem imigrantes.

Joseph Volpe adiantou à Lusa que em 2005 recusou uma proposta apresentada por quadros do seu ministério no sentido de se avançar para o exame linguístico, denominado International English Testing System (IELTS, na sigla em inglês) dada a dificuldade que o mesmo apresentava.

O ex-ministro acusa ainda o atual executivo conservador de não estar interessado em acabar com a imigração ilegal, antes preferindo aproveitar o trabalho dos imigrantes no desenvolvimento do país.

“Os miúdos não saem da escola para trabalhar na construção. Os governos, tanto no Ontário, como nas outras províncias, não conseguem formar pessoas qualificadas para a construção. O único local de onde podem vir é de outro país. Nenhum dos miúdos de segunda e terceira gerações quer ir trabalhar para as padarias, restaurantes, limpezas, ou fábricas”, daí a necessidade de mão de obra estrangeira, justificou.

Joseph Volpe disse ainda que a questão dos imigrantes indocumentados já é antiga, recordando que quando foi ministro, um sindicato do setor da construção revelou-lhe que tinha registado mais de 10 mil trabalhadores ilegais.

O Ministério da Cidadania e Imigração calcula que existem entre 45.000 a 75.000 trabalhadores portugueses a laborar na Grande Área de Toronto.

Fonte: Diário Digital com Lusa

 

 

Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário

Formação em São Tomé e Príncipe

getimageA sexta ação de Formação do Programa CPLP nas Escolas começou no dia 23 e decorre até hoje (27), em São Tomé e Príncipe.

Recorda-se que o Programa pretende aproximar a CPLP das camadas mais jovens, combatendo o desconhecimento que ainda persiste sobre a CPLP e fomentando a percepção da existência de Estados que partilham não só uma língua comum mas também uma herança histórica e cultural.

O programa desta formação conta com uma interatividade, através da plataforma, entre os alunos do Brasil e de Portugal com São Tomé e Príncipe.

Esta ação segue em conformidade com o programa, sendo que a primeira ação de formação teve lugar dia 14 de Maio, em Lisboa, a segunda realizou-se entre os dias 27, 28 e 29 de Maio, em Cabo Verde, a terceira ação de formação realizou-se nos dias 11, 12 e 13 de Junho, em Angola, a quarta entre os dias 16, 17 e 18 de Julho em Moçambique, e a quinta deu-se entre os dias 3 e 5 de Novembro no Brasil.

Fonte: CPLP

Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário

O “Brasil do Japão”

oizumiAs placas de boas-vindas, para recepcionar os visitantes anunciando que ali fica o “Brasil do Japão”, foram colocadas em três pontos de entrada da cidade de Oizumi (Gunma). Medem 4m de altura por 1,8m de largura e foram elaboradas pela Associação de Turismo local.

 “Bem-vindo! á Oizumi a Cidade Brasileira do Japão”, diz a frase em português (com alguns erros ortográficos) que também pode ser lida em japonês e inglês.

 O prefeito de Oizumi, Toshiaki Murayama, disse em entrevista ao jornal Yomiuri que “é importante promover a integração multicultural e o fator pode ser usado para promoção turística da cidade”.

ESTRANGEIROS RESIDENTES

 A última estatística de 31/1/2015 revela que dos 41.028 moradores de Oizumi, 6.459 são estrangeiros. Um pouco mais da metade desses estrangeiros é de nacionalidade brasileira, seguida pela peruana e indonesiana.

 Já a província de Gunma conta com um total de 42.311 estrangeiros, segundo dados de dezembro de 2014.

 Fonte: Blogue da Sylvia in Tokyo
Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário

Portugal, Brasil e Angola deviam criar TV internacional em português

tv-online-gratis O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso defendeu hoje que Portugal, Brasil e Angola deviam criar um grande meio de comunicação social em português para facilitar a comunicabilidade da língua portuguesa.

“É uma pena não termos uma televisão de grande projeção internacional em português”, disse José Manuel Durão Barroso na sua “aula inaugural” na Universidade Católica de Lisboa, onde vai lecionar, intitulada “União Europeia e Lusofonia”.

“Seria positivo que Portugal, Brasil e Angola se juntassem para criar um grande meio de comunicação social em português para facilitar a comunicabilidade da língua portuguesa”, acrescentou.

Durão Barroso, que definiu a Lusofonia como “a maneira portuguesa de estar no mundo, a língua portuguesa”, lançou esta sugestão ao sublinhar a importância de “uma política da língua mais ambiciosa”.

Destacando a maneira como Portugal, ao contrário de outras antigas potências coloniais, “foi capaz de restabelecer as relações Estado a Estado” com os países africanos de expressão portuguesa, Barroso referiu o “espírito de abertura” que marcou e continua a marcar a história de Portugal.

“A Lusofonia é uma das formas que Portugal tem de contribuir para a UE”, disse, depois de ter apontado como iniciativas portuguesas deram origem à parceria estratégica UE-Brasil, à Parceria Especial com Cabo Verde e aos Programas Indicativos Regionais com os PALOP e com Timor-Leste.

Fonte : Lusa/Sapo

 

 

Publicado em Uncategorized | Deixe o seu comentário