ESCRITOR LUÍS CARDOSO, DO TIMOR-LESTE, VENCE O PRÊMIO OCEANOS

Romance “O Plantador de Abóboras”, do escritor timorense, ficou em primeiro lugar. “O Ausente”, do brasileiro Edimilson de Almeida Pereira, e “O Osso do Meio”, do português Gonçalo M. Tavares, completam o pódio.

Escritor timorense Luís Cardoso venceu o Prêmio Oceanos com o romance “O Plantador de Abóboras”

O romance “O Plantador de Abóboras”, do escritor timorense Luís Cardoso, publicado em Portugal pela editora Abysmo, venceu em primeiro lugar o Prêmio Oceanos. Esta é a primeira vez que um livro do continente asiático figura entre finalistas e vencedores. Em cerimônia transmitida ao vivo no site e YouTube do Itaú Cultural, o Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa 2021 anunciou os três vencedores desta edição. 

A apresentação foi realizada por Selma Caetano, coordenadora-geral do Oceanos, e Claudiney Ferreira, gerente do núcleo de Audiovisual e Literatura do Itaú Cultural. A cerimônia contou com a participação do escritor Itamar Vieira Junior, vencedor do Oceanos 2020, Matilde Santos, curadora da Biblioteca Nacional de Cabo Verde e Manuel da Costa Pinto e Isabel Lucas, ambos jornalistas e críticos literários. 

Em segundo lugar, ficou o romance “O Ausente”, do escritor e professor brasileiro Edimilson de Almeida Pereira, publicado no Brasil pela Relicário. A obra é o primeiro volume da trilogia “Náusea”, que inclui também “Um Corpo à Deriva” (Edições Macondo), que foi semifinalista do Oceanos, e “Front” (Editora Nós), vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2021. 

O terceiro lugar foi concedido ao romance “O Osso do Meio”, de Gonçalo M. Tavares, publicado em Portugal pela editora Relógio D’Água. O autor venceu o Prêmio Oceanos em duas ocasiões: 2007, com “Jerusalém”, e 2011, com “Uma Viagem à Índia”.

O Oceanos é realizado em três etapas de votação até chegar aos vencedores. Ao todo, foram 5.953 leituras realizadas pelos três júris que se sucederam na seleção de semifinalistas, finalistas e vencedores. Participaram do júri para seleção dos três vencedores a angolana Ana Paula Tavares, os brasileiros Itamar Vieira Junior, Julián Fuks, Maria Esther Maciel e Veronica Stigger e os portugueses António Guerreiro e Golgona Anghel. O valor total da premiação é de 250 mil reais, sendo 120 mil para o primeiro colocado, 80 mil para o segundo e 50 mil para o terceiro.   

Histórico da edição  

Concorreram à edição 2021 do Oceanos 1.835 obras publicadas em dez países: Alemanha, Angola, Áustria, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Estados Unidos, Moçambique, Portugal e Reino Unido. Neste ano, o número de editoras participantes totalizou 337, com sede em sete países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, França, Moçambique e Portugal. As edições independentes somaram 342 livros, representando 18,6% do total das inscrições – um aumento de mais de 100% em relação à edição anterior do prêmio.  

De todas as edições do prêmio, o Oceanos 2021 apresentou a maior diversidade no que se refere à origem dos autores. Participaram escritores de Alemanha, Angola, Argentina, Brasil, Cabo Verde, China, Espanha, França, Haiti, Índia, Itália, Moçambique, Peru, Portugal, Rússia, Suíça, Timor-Leste e Venezuela, todos escrevendo e publicando originalmente em língua portuguesa.  


Fonte: Correio do Povo

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s