‘OCEANOS 2021’ FECHA INSCRIÇÕES E INICIA MAPEAMENTO DAS LITERATURAS EM LÍNGUA PORTUGUESA

Mapeamento será apresentando em instituições do país, incluindo o museu cais do sertão, em Pernambuco

Edição 2021 do "Oceanos" recebeu mais de 1.8 mil inscrições de mais de dez países

Aumento no hábito de ler e busca por livros em vendas virtuais, além de criatividade por parte do mercado editorial no decorrer da pandemia da Covid-19 foram algumas das conclusões pautadas pela edição 2021 do “Oceanos”, que recebeu mais de 1.8 mil inscrições para o prêmio, publicadas em pelo menos dez países. 

Participam do prêmio publicações da Alemanha, Angola, Áustria, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Estados Unidos, Moçambique, Portugal e Reino Unido. E 337 editoras de sete países – Angola, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, França, Moçambique e Portugal.

Outro dado captado pela edição, sobre a criatividade do mercado, foi o aumento considerável do número de edições do próprio autor – mais de 100% em relação ao ano passado, representando 18,6% do total das inscrições. E a ascensão de plataformas de autopublicação como a Kindle Direct Publishing (KDP), da Amazon, e o Clube de Autores, aliada às vendas em plataformas de e-commerce, explicam parte deste fato. 

As listas completas das obras concorrentes e dos membros do júri da primeira etapa ficam disponíveis na página do Oceanos (https://www.itaucultural.org.br/oceanos) a partir da próxima segunda-feira (3).

Mapeamento

Resultado de uma parceria entre o Instituto Cultural Vale e o Itaú Cultural, a partir deste ano de 2021 o Oceanos realiza um mapeamento inédito das literaturas em língua portuguesa para ampliar o conhecimento da complexidade e da diversidade da produção literária dos países membros da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Em sua primeira etapa, 32 professores de literatura – dentre o total de 95 jurados que avaliam as obras inscritas ao prêmio Oceanos –, são responsáveis por uma cartografia da produção literária de 2020, a partir de aspectos temáticos e estéticos do conjunto das 1.835 obras inscritas no prêmio.

Na etapa seguinte, os dados obtidos serão coligidos e tratados por especialistas. O resultado será compartilhado entre atores das cadeias cultural, editorial e livreira, como institutos culturais, universidades, editoras, livreiros e órgãos oficiais dos países da CPLP.

O objetivo principal do Mapeamento das Literaturas em Língua Portuguesa é construir um acervo bibliográfico e documental, que possa gerar conteúdo para instituições culturais, públicas e privadas, e usuários em geral.

Foram fechadas algumas parcerias e o Mapeamento será apresentado em instituições como o Museu da Língua Portuguesa/SP, o Museu de Arte do Rio/RJ, o Gabinete Português de Leitura de Salvador/BA, o Memorial Minas Gerais Vale/MG, o Museu Vale/ES, o Centro Cultural Vale Maranhão/MA, a Casa da Cultura de Canaã dos Carajás/PA e o Museu Cais do Sertão, em Pernambuco.

O fomento em pesquisas, estudos e políticas culturais que contribuam para uma maior compreensão das proximidades e dos distanciamentos entre as diversas literaturas em língua portuguesa, no contexto atual, também é foco do mapeamento.

Oceanos – Processo

Dentre as categorias avaliadas pelo Oceanos, poesia – com 835 livros – corresponde a 45,5% das inscrições. Os romances somam 594 obras e representam 32,4% do total; os livros de contos – 265 inscrições – perfazem 14,4%, seguidos por 103 volumes de crônicas – 5,6% – e 38 obras de dramaturgia – 2,1%. 

Todos os livros concorrem entre si, uma vez que o Oceanos elege as três melhores obras publicadas no ano anterior ao da premiação sem distinção de gênero literário.

Na primeira etapa, um júri composto por professores de literatura, críticos literários, escritores, poetas e jornalistas de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e Timor-Leste – lê e avalia obras inscritas para escolher os 50 semifinalistas, que serão divulgados em agosto. Os jurados também elegem, entre si, os 14 membros dos júris das etapas subsequentes.

Na segunda etapa, o júri intermediário – formado por profissionais de pelo menos duas nacionalidades – será responsável por escolher os 10 finalistas entre os 50 semifinalistas. Na terceira e última etapa, o júri final – formado por outros sete profissionais de pelo menos duas nacionalidades – será encarregado da decisão dos três vencedores. 

Todo o processo acontece novamente por meios digitais, solução adotada a partir da edição anterior. O valor total do prêmio desta edição soma R$ 250 mil: o livro vencedor receberá R$ 120 mil; o segundo colocado, R$ 80 mil, e o terceiro, R$ 50 mil.


Fonte: Folha de Pernambuco

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s