USO DA VÍRGULA – REGRAS, QUANDO E COMO USAR O SINAL DE PONTUAÇÃO

O uso da vírgula pode causar confusão na ora da escrita. Por conta disso, é necessário estar atento às regras para saber quando utilizar! Uso da vírgula - Regras, quando e como usar o sinal de pontuação

A língua portuguesa contém diversos sinais de pontuação que auxiliam na melhor compreensão das sentenças. Assim, na linguagem oral não se tem tanta preocupação com os sinais já que a entonação se encarrega das marcações. Entretanto, na escrita, saber o momento certo de utilizar os sinais é imprescindível. Dessa forma, o uso da vírgula é um exemplo de sinal que pode causar confusão.

Pois bem, você sabe as regras e qual o momento correto desse sinal de pontuação? Colocar uma vírgula no lugar errado no momento da escrita pode mudar completamente o sentido da frase. Assim, a escrita carrega normas que devem ser utilizadas da maneira correta.

Como ocorre o uso da vírgula

Em síntese, o uso da vírgula pode causar confusão em muitas pessoas. Por conta disso, é necessário observar algumas regras para que a vírgula não se torne um problema no momento da escrita.

Logo, uma das primeiras regras é colocar vírgula em palavras que possuem a mesma função sintática. Ou seja, a vírgula neste caso pode ser utilizada quando a palavra não vier acompanha de elementos como eou e nem. Neste caso, pode ser sujeito, predicado, adjunto adverbial e adnominal, substantivo e etc. Observe:

Exemplo: Comprei laranja, maçã, banana e abacate

Outro exemplo do uso da vírgula ocorre quando é necessário separar o aposto dentro da frase. Ou seja, casa haja a necessidade de se expressar outro termo dentro uma frase é necessário separa-lo com a vírgula. Nesse sentido, também utiliza-se a vírgula quando o intuito é separar o vocativo.

Exemplo: São Paulo, considerada a metrópole brasileira (aposto), possui um trânsito caótico.

Exemplo: Ora, Luciana, não diga que vem!

Uso da vírgula - Regras, quando e como usar o sinal de pontuação

Além disso, podemos utilizar a vírgula nos seguintes casos:

Isolar o adjunto adverbial – a vírgula é utilizada para demarcar a mudança de sentido que o adjunto provoca na frase. Ex: Amanhã à noite, ele vai me ligar; Isolar palavras explicativas ou ratificadas – a vírgula é utilizada em termos como isto éou melhorou sejapor exemploa saber e sem dúvida. Ex: Escrever é, sem dúvidas, uma das melhores terapias; Isolar nome de lugar antes da data – Ex: Goiânia, 03 de janeiro de 2011; Outras condições do uso da vírgula

Além dos exemplos já citados, a vírgula ainda pode ser usada nos seguintes momentos:

Separar orações coordenadas – o uso da vírgula aqui ocorre casa a oração não esteja separada pela conjunção e. Ex: Pegou o caderno, abriu-o, fez várias anotações.

Aqui, vale destacar que, caso a conjunção apareça na frase a vírgula só será necessária quando os sujeitos dentro da oração forem diferentes. Além disso, pode ser usada, também, quando a conjunção surgir de maneira repetida. Entretanto, é a utilização da vírgula nestes casos se torna opcional.

Exemplos: Ela não queria ir ao médico e chorava, e gritava, e esperneava / Ela não queria ir ao médico e chorava e gritava e esperneava.

Separação de orações subordinadas- neste caso, apenas as orações substantivas opositiva, as adjetivas explicativas e adversativas recebem a vírgula.

Ex oração substantiva  positiva: seu grande sonho, de estudas em uma universidade de New York, não poderia ser realizado.

Ex oração subordinada adjetiva explicativa: eu desejo comer pizza, que é uma das comidas mais deliciosas. 

Uso da vírgula - Regras, quando e como usar o sinal de pontuação

Em relação às orações subordinadas adverbiais, o uso da vírgula é obrigatório caso as orações estejam ligadas ou antepostas em relação à oração principal. Neste caso, a oração adverbial consecutiva é a única que não necessita de vírgula.

Exemplo: Como os economistas previram, o dólar subiu / Ouvia muitas histórias quando era menino ou Ouvia muitas histórias, quando era menino.

Quando não utilizar a vírgula

Em síntese, existem casos em que a utilização da vírgula é feita de forma errônea. Dessa forma, o entendimento de uma oração pode ser comprometida, além de causar confusão.

Assim, existem casos em que o uso da vírgula não é necessário. Logo, são exemplos:

Sujeito e verbo – não pode separá-los com vírgula. Ex: Estudantes da faculdade participarão da olimpíada. Verbos e complementos – quando são escritos juntos não são separados por vírgula. Ex: Comunicamos aos alunos a decisão do diretor. Oração subordinada adverbial consecutiva – se a oração tiver consequência o uso da vírgula não se faz necessário. Ex: A chuva estava tão forte que inundou a rua. Orações subordinadas adjetivas restritivas – Ex: Os jornais que encontrei no porão são velhos.

O que achou da matéria? A língua portuguesa contêm diversas regras que podem confundir, não? Se gosta do tema, aproveita pra conferir mais textos aqui no site como, por exemplo, o que é Morfologia e qual a diferença entre Intenção e Intensão.

Fontes: Rachacuca, Brasil Escola, Mundo Educação, Nova Escola e Português 

Fonte imagem destaque: Rock Contente

Essa matéria Uso da vírgula – Regras, quando e como usar o sinal de pontuação foi criada pelo site Conhecimento Científico.


Fonte: Notícias R7

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s