PATRIMÓNIOS IMATERIAIS: “MANTER VIVA A LÍNGUA E CULTURA PORTUGUESA NO LUXEMBURGO”

O projeto, iniciado há 3 anos numa parceria da Associação de Divulgação e Intervenção Educativa, do Luxemburgo, e a Associação Juvenil Carpe Diem, de Portugal, tem contribuído para a promoção e a valorização da língua e da cultura portuguesa no Luxemburgo.

Luxemburgo

Num país que conta com uma população que não chega aos 600 mil  habitantes e uma área de aproximadamente 2586 km², o que equivale sensivelmente a metade do Algarve, os portugueses são a comunidade estrangeira mais numerosa do Luxemburgo.

A emigração portuguesa para o Luxemburgo iniciou-se em meados da década de 60, contabilizando, hoje, nos registos consulares, 113 mil portugueses, o que corresponde a 19% do total da população do Grão-Ducado.

A competência de coordenar o ensino da língua e cultura portuguesa no estrangeiro está entregue ao Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.

Para Joaquim Prazeres, coordenador do ensino de português no Luxemburgo, iniciativas como estas levadas a cabo pela ADIE e Carpe Diem, e que contam na sua implementação com o envolvimento de muitos pais dos alunos de português e restante comunidade portuguesa, são fundamentais para manter viva a língua e cultura portuguesa entre a diáspora.

Num passado recente, a língua portuguesa no Luxemburgo, apesar de muito falada, era considerada uma língua de segunda categoria por ser falada por operários da construção civil e empregadas de limpeza, hoje não é assim e a nossa língua é hoje considerada e respeitada, diz Joaquim Prazeres.

No balanço da iniciativa, Sónia Wosniac, a presidente da ADIE e professora de língua e cultura portuguesa no Luxemburgo, diz-se realizada por ver reconhecido o trabalho de meses e a forma como este contribui para a valorização da língua e cultura portuguesa.

Rodrigo Martins, presidente da Carpe Diem, faz um balanço extremamente positivo, assegurando que o objectivo de trazer ao Luxemburgo língua e cultura portuguesa, tem sido plenamente conseguido, destacando o reconhecimento do Instituo Camões e da Embaixada Portuguesa no Luxemburgo.

A iniciativa de trazer ao Luxemburgo uma embaixada cultural, terminou na noite de sábado com um jantar convívio e concerto, que contou com a presença de mais de 600 pessoas, entre elas Franca Romeo, presidente da comissão municipal de integração, e o Burgermeister (presidente de câmara) Georges Engel.

A animação esteve a cargo das fadistas Joana Vales e Mafalda Vasques, acompanhadas por António Barros na guitarra portuguesa, António José Caeiro na viola de fado e Paulo Lopes viola baixo. O espectáculo foi encerrado pelo grupo “De Moda em Moda”.


Fonte: Voz da Planície

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s