PRÉMIO DE LITERATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA DE 2018

Poeta brasileira Marília Garcia conquista o primeiro lugar.

Em cerimónia realizada no Palácio da Ajuda, em Lisboa, com a presença do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, a ministra da Cultura portuguesa Graça Marques e o diretor do Itaú Cultural Eduardo Saron, o Oceanos – Prémio de Literatura em Língua Portuguesa anunciou os quatro vencedores de 2018: uma brasileira, dois portugueses e um moçambicano, consagrando escritores de três continentes e aprofundando o processo de internacionalização do prémio.

A poeta brasileira Marília Garcia ficou em primeiro lugar com Câmara Lenta. Em segundo lugar, o português Bruno Vieira Amaral, autor do romance Hoje estarás comigo no paraíso. O livro de poesia A Noite Imóvel, do português Luís Quintais, ficou em terceiro lugar. Fechando a lista, o quarto colocado é o poeta moçambicano Luís Carlos Patraquim, autor de O Deus Restante, premiado.

O Júri Final – composto pela angolana Ana Paula Tavares, pelos portugueses Helena Buescu e Pedro Mexia, e pelos brasileiros Flora Sussekind, Heitor Ferraz Mello e Julián Fuks – escolheu três livros de poesia entre os quatro livros vencedores da edição de 2018, que avaliou livros com publicação em 2017. De modo inédito na história do prémio, os livros de poesia prevalecem sobre os livros de prosa e incluem um escritor do continente africano.

“Esta edição do Oceanos está rica, cheia de novidades: pela primeira vez, os premiados foram anunciados em Lisboa, os autores são do Brasil, de Portugal e de Moçambique, o que revela a importância da internacionalização do prémio, e, de quatro títulos vencedores, três são de poesia, um dado que merece atenção”, observa a gestora cultural Selma Caetano, curadora e idealizadora do prémio.

“Tudo isso, fortalece a literatura em língua portuguesa e o papel do Oceanos, que é o de ampliar o conhecimento desta produção em todos os continentes onde há países em que se escreve em português e promover o intercâmbio de livros e entre autores e editoras”, diz Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural, que, na ocasião, também anunciou a decisão do instituto de doar 4.200 livros de clássicos da literatura brasileira para 303 bibliotecas de Portugal – são coleções de 14 livros de autores como Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Clarice Lispector, Cyro dos Anjos e Machado de Assis, entre romances, contos, poesia e crónicas.

O Banco Itaú patrocina o Oceanos ao lado da CPFL Energia, do Instituto CPFL e do governo de Portugal, este por meio do Fundo de Fomento Cultural Português. A curadoria da edição de 2018 foi da gestora cultural Selma Caetano, da editora brasileira Mirna Queiroz e dos jornalistas Isabel Lucas (de Portugal) e Manuel da Costa Pinto (Brasil).


Fonte: Boas Notícias

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s