CABO VERDE INTERESSADO NO ENSINO À DISTÂNCIA DA LÍNGUA PORTUGUESA

Cabo Verde, pela voz do seu embaixador em Portugal, revela o interesse do país no ensino à distância em língua portuguesa, referindo que o país tem “todas as razões” para apostar nessa modalidade.

O embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, manifestou esta quinta-feira, em Lisboa, o interesse de Cabo Verde no ensino à distância em língua portuguesa, afirmando que o país tem “todas as razões do mundo” para apostar nessa modalidade.

“Em primeiro lugar, porque é um país pobre, de parcos recursos, em segundo lugar, porque os cabo-verdianos tem uma apetência especial para os estudos – temos quase pouco menos de um terço da população a estudar – em terceiro lugar, porque somos um país arquipelágico e em quarto, porque somos uma nação diaspórica”, mencionou Eurico Monteiro, na conferência “O futuro da educação à distância em língua portuguesa”, uma iniciativa da Universidade Aberta (UA), em Lisboa.

Para o embaixador de Cabo Verde em Portugal, o ensino à distância representa o “fenómeno que desde cedo se configurou como exemplo cabal” de modo a aproveitar “melhor as potencialidades do conhecimento, em prol das populações e do desenvolvimento”.

“Com as estruturas de aprendizagem à distância chega-se cada vez mais longe, a mais público e a um menor custo”, sublinhou.

Eurico Monteiro referiu que, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), os Estados “têm tudo a beneficiar com as plataformas de cooperação de aprendizagem à distância, nomeadamente, na área do ensino superior permitindo alargar o acesso à população, a diversificação dos cursos, facilitando a especialização e a excelência”.

“O ensino à distância tem tido um papel fundamental no reforço do ensino da língua portuguesa, na sua promoção e difusão, nas diásporas dos nossos países, até ao nível dos próprios países da CPLP como os PALOP [Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa] e Timor-Leste”, indicou o embaixador.

No âmbito da CPLP, Eurico Monteiro considerou que o modelo de aprendizagem à distância de língua portuguesa é o “meio mais eficiente”.

Em Cabo Verde, a Universidade Aberta já marcou presença e dispõe de polos em Santiago, São Vicente, São Nicolau, Santo Antão, Fogo e Sal, segundo o embaixador.

“As estruturas de ensino à distância são uma solução incontornável para diversificação do ensino e o caminho para a inovação”, conclui Eurico Monteiro.

O reitor da Universidade Aberta, Paulo Dias, defendeu que o futuro do ensino à distância é digital e vai contribuir para aproximar os falantes de língua portuguesa, promovendo uma “comunidade de valor”.

“A educação à distância em língua portuguesa é uma das prioridades para esta universidade que tem como missão valorizar a criação de conhecimento” do português que é falado por 250 milhões de falantes e provavelmente chegará aos 400 milhões no final do século, sublinhou o responsável da UA.

Paulo Dias notou que o crescimento da comunidade de falantes de língua portuguesa será acentuado “a partir de 2030, 2040, sobretudo em África” e chamou a atenção para a necessidade de adotar mecanismos de regulação em Portugal e nos restantes países.

“No espaço da CPLP, só três países é que têm regulação do ensino à distância: Brasil, Cabo Verde e Moçambique”, o que seria essencial para promover a qualidade e a “confiança social no ensino à distância”, estabelecendo um conjunto de condições e modelos de partilha que permitissem desenvolver ofertas educativas conjuntas.

Na conferência, que decorre hoje e sexta-feira, em Lisboa, vai ser dado destaque a temas tecnológicos, incluindo Inteligência Artificial, Ambientes Virtuais e de Realidade Aumentada.

“A educação do futuro será desenvolvida com recurso a sistema deste tipo para apoio aos alunos, nomeadamente laboratórios virtuais”, considerou o reitor da UA.

Em foco vão estar também questões ligadas ao reconhecimento, qualidade e regulação, bem como literacia digital.


Fonte: Observador

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s