NO LUXEMBURGO HÁ “UM INTERESSE CRESCENTE DE ESTRANGEIROS” PELA LÍNGUA PORTUGUESA

Joaquim Prazeres, Coordenador do EPE no Grão Ducado, diz que atual ano letivo há alunos luxemburgueses e de outras nacionalidades a frequentar os cursos do Camões, I.P., tanto na modalidade Complementar e no ensino Paralelo.

Imagem

Os mais recentes dados do Minitére de l’Éducation Nationale, de l’Enfance et de la Jeunesse (MENJE) do Luxemburgo, o Português é a segunda língua mais presente nas escolas, “com 13.603 alunos do ensino fundamental e 10.094 do secundário a falá-la em casa”, revela Joaquim Prazeres. Uma realidade que leva o Coordenador do EPE naquele país a acreditar que a oferta de ensino “tem um grande potencial de crescimento” e a “intensificar esforços para chegar a mais pais e a mais crianças”.
No presente ano letivo, há 2.682 alunos a frequentar os cursos de Língua e Cultura portuguesas no Luxemburgo, do ensino pré-escolar ao superior. Destes, 2.181 são alunos do ensino fundamental e 501 do ensino secundário e superior. Joaquim Prazeres explica que este é um universo composto na sua maioria por alunos que falam o Português em casa, “com ligações afetivas e familiares muito fortes à língua e cultura portuguesas”, mas também a outras culturas lusófonas: cabo-verdianos, angolanos, brasileiros, guineenses…. Como muitos já nasceram no Luxemburgo têm a nacionalidade luxemburguesa, a par da portuguesa, mas são contabilizados como estrangeiros nas estatísticas oficiais do Grão-Ducado, “que apontam, nos últimos anos, para uma estabilização de alunos de nacionalidade portuguesa no ensino fundamental e um ligeiro aumento no secundário”, acrescenta.
No atual ano letivo, 62 escolas de 37 localidades têm a funcionar cursos de língua e cultura portuguesas, com uma maior concentração nos cantões de Esch-sur-Alzette, Diekirch e Luxemburgo, que concentram grande parte da comunidade portuguesa, revela ainda Joaquim Prazeres, recordando que o ensino integrado de português foi implementado em 1982. “Em relação ao ano passado verificamos uma diminuição significativa dos cursos integrados, e a transformação deste tipo de cursos em cursos do ensino Complementar veio acelerar uma tendência que temos vindo a constatar nos últimos anos. Posto isto, podemos afirmar que o ensino integrado tem vindo a perder alunos, todavia grande parte dos alunos têm-se mantido nos nossos cursos, paralelos e, este ano, complementares”, explica.

Fonte: Mundo Português

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s