Moçambique apresenta seu vocabulário ortográfico.

MOÇAMBIQUE vai entregar durante o próximo Conselho Científico do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) o seu Vocabulário Ortográfico Nacional, que constitui a sua contribuição para o vocabulário comum deste idioma que está em processo de revisão e unificação ortográfica.

IMG_6130 (640x427) (2)Segundo o académico Lourenço do Rosário, presidente da Comissão Nacional do IILP, este será mais um passo no processo de adesão do nosso país ao Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que o Governo já aprovou e já submeteu para ratificação à Assembleia da República. A par de Angola, Moçambique ainda não ratificou a adesão ao acordo, que entretanto já vigora no Brasil, Cabo Verde, Portugal e São Tomé e Príncipe.

O também presidente do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa (FBLP) e reitor da Universidade Politécnica vai a Cabo Verde credenciado pelo Governo moçambicano para proceder à entrega do Vocabulário Ortográfico Nacional, que, por um lado, enriquecerá a língua portuguesa em cerca de 40 mil entradas que constarão do dicionário.

O documento, segundo Lourenço do Rosário, é um trabalho científico levado a cabo por especialistas da Faculdade de Letras e Ciências (FLCS) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), que integra linguistas lexicográficos e liderados pelas professoras Inês Machungo e Perpétua Gonçalves. “É um trabalho científico seguro e terá mais de 40 mil entradas, o que significa que estamos perfeitamente a par dos outros, quer dos portugueses, quer dos brasileiros em termos de trabalho científico”, sublinhou.

O Vocabulário Ortográfico Nacional enriquecerá os dicionários, prontuários e gramáticas da língua portuguesa e possibilita a produção destes materiais sem que se recorra a outros especialistas e países.

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que data de 1990, é um tratado assinado pelos países da CPLP com o objectivo de criar e adoptar uma ortografia unificada a ser usada por todos os países de língua oficial portuguesa.

Este acordo pretende pôr fim à existência de duas normas ortográficas divergentes, uma no Brasil e outra nos restantes países de língua portuguesa, contribuindo assim para o aumento do prestígio internacional do português e para a sua expansão e afirmação.

A valorização do critério fonético em detrimento do critério etimológico pretende aproximar a escrita da forma falada das palavras (é exemplo disso a supressão gráfica das consoantes mudas em palavras como Baptista ou Egipto).

Fonte: jornalnoticias.mz

Sobre O IILP

Objetivos fundamentais: a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais
Esta entrada foi publicada em Notícia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s